MOVIMENTO POR ALAN ALVES

Movimento por Alan Alves

Publicado: 05/07/2019


  • 05/07/2019 - São Paulo, por ALAN ALVES @alanalvesm- Ator e fundador da página @papel.canela.coracao


Há exatos 30 anos eu vim ao mundo, uma criança tímida, insegura, filho de pais separados e com dificuldades financeiras. Uma criança criativa e solta dentro de casa, porém travada e sem habilidade alguma para se relacionar da porta para fora.


Minha única forma de distração era a televisão e aos 7 anos de idade conheci um fenômeno que parou o Brasil, os “Mamonas Assassinas”. Eram jovens carismáticos, inteligentíssimos e vanguardistas, uma banda de grandes músicos com letras debochadas e com críticas sociais, eu era apaixonado pelo grupo, mas confesso que eu não entendia 5% das letras, esta é a grande questão, a função da arte é passar uma mensagem e abrir questionamentos. Os Mamonas me transmitiam alegria, desviando o foco dos conflitos entre meus pais e da falta de grana, em poucos meses os mamonas vieram a falecer em um acidente de avião, não entendi muito bem na época, mas naquele momento decidi ser artista.


Aos 14 anos de idade perdi meu pai, vítima de um câncer, história triste, não? Eu te respondo... NÃO. A morte do meu pai serviu para moldar meu caráter, ver de perto que a vida tem um fim e que precisamos valorizar cada dia. Todas as dificuldades são válvulas, são exemplos e lições para adquirimos experiências e nos tornarmos pessoas melhores.

Meu pai era um artista que sempre teve medo de expor sua arte. Escrevia, pintava, atuava no teatro e tinha receio de expor sua obra. Quando ele se foi, entendi que deveria viver de arte, que meus dias estavam contados, não sabia se me restavam mais 2 semanas ou 70 anos, mas que a contagem regressiva estava ativada. 


Cresci, me tornei homem e vi que não tinha escolha a não ser correr atrás dos meus sonhos diariamente com sangue nos olhos. De fato, eu não sabia me relacionar mas precisava mudar isso. Tive um insight simples “vou tratar as pessoas da forma que eu gostaria de ser tratado...” não deu outra, logo comecei a ser aceito nos grupos e minha insegurança foi embora pouco a pouco.


Aí você me pergunta, onde entra o “movimento” nessa história? Ele esteve desde o início, mas agora toma corpo.

Eu queria ser ator, mas não tinha grana pra estudar numa boa escola, me matriculei na escola de teatro e arrumei emprego em uma loja de roupas e ao mesmo tempo que eu teria a obrigação de me relacionar com pessoas diariamente e aprimorar minha forma de me comunicar, eu também teria um salário para pagar meus estudos.


Todos temos sonhos, metas e objetivos, mas infelizmente travamos muitas vezes, deixamos de correr atrás de nossos ideais por achar que precisamos disso ou daquilo, esperamos o “momento certo” ou a ocasião onde teremos as “ferramentas corretas”. Sinceramente? Isso não existe, você tem a obrigação de se movimentar, de correr atrás das suas paradas com garra, quebrando as correntes que te prendem com os dentes.

Queremos o topo, mas não o alcançamos, por isso devemos construir degraus dia após dia, um tijolo de cada vez e em algum momento chegaremos lá.


O movimento é muitas vezes fazermos o que não queremos, abdicar de conforto e facilidades por algo maior. 

Os bem sucedidos e os fracassados são pessoas iguais, com as mesmas capacidades, a diferença é que os bem sucedidos se movimentaram, fizeram o que era necessário e deram a cara a tapa.

O feito é melhor que o perfeito, devemos parar de planejar tanto e meter a cara no mundo, aos poucos os caminhos vão tomando forma, as oportunidades vão aparecendo, vamos errando, acertando, aprendendo e crescendo com cada situação.

Não se movimentar é negligenciar sua própria vida, é assumir o assassinato dos seus sonhos. Não sabemos onde estão as oportunidades, a grande questão é nos permitirmos a dar o nosso melhor em tudo que fizermos. Não importa se você é instalador de tv por assinatura, diretor de uma grande empresa ou estudante, a parada é ser o mais competente possível dentro da sua área de trabalho e convivência, você tem o potencial, basta querer. O movimento é uma vitrine, te colocará em destaque, seja para outras empresas, situações ou relacionamentos. Tudo que te fizer se mover, te levará a algum lugar, cedo ou tarde.


Hoje vivo da arte, estou longe de ser um ator famoso ou algo do tipo, mas tenho orgulho de dizer que assim como os Mamonas, meu propósito é passar uma mensagem e abrir questionamentos.

Pagar as próprias contas fazendo o que ama é uma dádiva dos corajosos, encaramos perrengues, dificuldades e nos acostumamos em receber “NÃOS”.

Coloco em prática o sonho do meu pai de ser um artista, um cara do bem, mas que infelizmente não teve coragem e tempo para correr por cada um de seus ideais.



O mercado de atuação é concorrido como todos os outros, tempos atrás os trabalhos não estavam aparecendo, mas eu não largava o osso, queria trabalhar apenas como ator, me limitando a uma única função, jogando meus objetivos na lata do lixo e me deprimindo num grau elevado.

Eis que me lembrei do movimento, me dei conta de que meu propósito não é ser ator, é ser artista... Decidi criar uma página de textos na internet o @papel.caneta.coracao , isso me abriu varias portas, convites para escrever roteiros, compor músicas e uma infinidade de oportunidades, criei também um podcast com amigos, tudo isso me trouxe de volta ao mercado de trabalho, com muito mais potência e repertório.

Hoje vivo um momento extremamente especial, graças a Deus, minha família , amigos e minha movimentação constante. Não existe linha de chegada, vivo cada dia como se fosse o último, dando meu melhor e atento a cada porta que se abre.


Você está perdido? Não sabe o que fazer? Não sabe do que gosta? Simples...

Levante do sofá, caia no mundo, comece a dizer sim para as coisas, derrame suor em cada atividade que se propor a realizar, faça algo por alguém, não espere nada em troca,  e por último, faça com amor, as respostas aparecerão ao longo do tempo. 

Movimente-se, a vida está aí e só há uma coisa que ninguém poderá fazer por você, a sua parte.

Voltar